Doce de leite da Argentina: comida típica irresistível

O doce de leite da Argentina é uma delícia. Leia sobre a comida típica do destino vizinho e saiba quanto custa no supermercado lá. Traga potes para você e para dar de presente como souvenir

ATUALIZADO EM 6 DE ABRIL DE 2017

Eu nunca gostei de doce de leite, sempre achei doce demais. Até que meu marido trouxe um pote argentino para casa. Tenho de confessar que, naquela época, a princípio nem me interessei. Mas resolvi provar a comida típica da Argentina, já que todo mundo dizia que era tão boa. Vai que era. E era!

De cor mais escura, com aquele saborzinho meio maltado que fazia toda a diferença. Pronto, virei uma dulce de leche maníaca. Daí por diante, é puro, com queijo, no pão, em receita, no sorvete. Curto doce de leite argentino em todas as possibilidades.

Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja
Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja

Compramos no supermercado no Brasil, porém, sem exageros. O pote não dura na geladeira, e o ponteiro da balança também sobe rapidinho. Mas, quando vou à Argentina, é irresistível. As prateleiras de lá oferecem variedade e preço mais barato.

Em outubro de 2013, estive na região das Missões Jesuíticas para escrever uma reportagem para a revista de bordo da companhia aérea Azul. Antes de voltar para casa, no supermercado na cidade de Posadas, faturei um potão de Poncho Negro (840 g), na ocasião pelo equivalente a uns R$ 18. Em maio de 2014, em Buenos Aires, comprei potes de 450 g de La Salamandra por cerca de R$ 8, de acordo com a cotação da época.

Doce de Leite, Argentina - Foto Nathalia Molina @ComoViaja (2)

Em 6 de abril de 2017, pesquisei no site da rede Coto, que tem supermercados por Buenos Aires, encontrei potes de 450 g de San Ignacio a 63,15 pesos argentinos (com a taxa de câmbio atual, algo em torno de R$ 13). Na foto acima, ele custava metade do valor em pesos argentinos. Pelo menos, dá para ter uma ideia da variação — se alguém tiver comprado doce de leite recentemente na Argentina, por favor deixa o preço nos comentários para sabermos. O pote de plástico de La Serenísima clássico com 400 g custava 30,15 pesos argentinos no site, o equivalente a cerca de R$ 6,15.

Sem glúten: procure o selo Sin TACC

Um detalhe importante para quem gosta de doce de leite argentino e não come glúten: nem toda marca é liberada para o consumo. Durante a minha viagem de maio de 2014, encontrei sachês de doce leite Ilolay no café da manhã do hotel, mas o rótulo não continha a informação de que o produto era gluten free.

Sem Glúten, Gluten Free, Doce de Leite, Argentina - Foto Nathalia Molina @ComoViaja (2)No supermercado, vi potes do Poncho Negro e tampouco havia algo escrito sobre o assunto. Acabei comprando o La Salamandra, marca que exibia Sin TACC (sem trigo, aveia, cevada e centeio) no rótulo. Na hora de comprar, fique atento ao símbolo. Se você não come glúten, a Argentina oferece muitas opções aos viajantes. tem até voo com lanche gluten free.

DEIXE SEU COMENTÁRIO