Em Belo Horizonte, Niemeyer e praças reformadas

Belo Horizonte, Pampulha, Igreja São Francisco de Assis - Embratur, Acervo Belotur, Divulgação2

IGREJA DE SÃO FRANCISCO – Embratur/Acervo Belotur/Divulgação

ESTE TEXTO FOI PUBLICADO NO CADERNO VIAGEM, DO JORNAL ESTADO DE S. PAULO, SOBRE AS CIDADES-SEDE DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES NO BRASIL — edição de maio de 2013

Texto de Nathalia Molina

O cartão-postal de Belo Horizonte é o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, ícone da arquitetura moderna projetado por Oscar Niemeyer. Na mesma área, em torno da lagoa, fica também o Mineirão, estádio da cidade que recebe os jogos da Copa das Confederações. Dois bons pretextos para começar por ali um passeio pela capital.
Inaugurado em 1943, o conjunto é conhecido pela imagem da Igreja de São Francisco de Assis. Tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a construção junta os traços de Niemeyer aos murais de Cândido Portinari. Espalhadas em torno do lago, encontram-se ainda o Museu de Arte da Pampulha e a Casa do Baile.

O roteiro pela capital mineira segue por outro ponto emblemático: a Savassi. Área turística, com hotéis, lojas e restaurantes, o bairro foi revitalizado, e a obra, entregue no ano passado. As ruas em volta da Praça Diogo de Vasconcelos estão fechadas ao trânsito de veículos.

Belo Horizonte, Praça da Liberdade - Marcelo Rosa, Acervo Belotur, Divulgação2

PRAÇA DA LIBERDADE – Marcelo Rosa/Acervo Belotur/Divulgação

Perto dali, a Praça da Liberdade vem passando por uma grande transformação desde 2010. Os prédios do século 19 que cercam os jardins da praça deixaram de abrigar órgãos do governo para acolher centros culturais. O Circuito Cultural Praça da Liberdade (circuitoculturalliberdade.com.br) inclui instituições como o Espaço TIM UFMG do Conhecimento, o Museu das Minas e do Metal – EBX e o Memorial Minas Gerais – Vale. O mais novo integrante da lista é o Centro de Arte Popular Cemig, aberto em 2012. Às quintas-feiras, o funcionamento é estendido, resultando numa interessante noite cultural. E tem mais a caminho.

Quatro espaços do circuito estão em fase final: a Casa Fiat de Cultura, o Centro Cultural Banco do Brasil, o Centro de Referência da Economia Criativa Sebrae – MG e o Museu do Automóvel. Em volta da praça há ainda a Biblioteca Pública e o Palácio da Liberdade, antiga sede do governo aberta à visitação.

Belo Horizonte, Museu das Minas e do Metal - Embratur, Acervo Belotur, Divulgação2

MUSEU DAS MINAS E DO METAL – Embratur/Acervo Belotur/Divulgação

BELA VISTA

Com projeto de Roberto Burle Marx, o Parque das Mangabeiras está aos pés da Serra do Curral. Tem flora nativa, 30 espécies de mamíferos e 160 tipos de aves. Por mês, recebe 30 mil visitantes, atrás das trilhas, da pista de skate e das quadras. Renovado recentemente, o mirante do Parque das Mangabeiras é o endereço para ver a cidade do alto.

MERCADO CENTRAL

Quem aprecia culinária mineira pode degustar uma boa amostra no Mercado Central de Belo Horizonte. São em torno de 400 lojas, que vendem mais do que frutas, verduras, carnes e laticínios. Criado em 1929, o mercado oferece de queijo artesanal a garrafas da cachaça mais famosa do País. Além das lojas, há bares e restaurantes. Fique de olho na agenda, pois o lugar abriga eventos como o Circuito Gastronômico do Mercado Central. Informações: mercadocentral.com.br.

Belo Horizonte, Mercado Central - Click Estúdio Profissional, Acervo Belotur, Divulgação2

Click Estúdio Profissional/Acervo Belotur/Divulgação

FEIRA DE ARTESANATO

Todo domingo 2.500 barracas tomam a Avenida Afonso Pena, em Belo Horizonte, com roupas, bijuterias e comida. É a Feira de Artes e Artesanato, que existe há 40 anos.

Belo Horizonte, Feira de Arte e Artesanato - Click Estúdio Profissional, Acervo Belotur, Divulgação2

Click Estúdio Profissional/Acervo Belotur/Divulgação

DEIXE SEU COMENTÁRIO