Berlim cria uma ‘categoria’ para hotel gay

Quando recebi essa notícia oficial do visitBerlin (responsável pela promoção turística da cidade), pensei: ‘Nossa, Berlim é impressionante mesmo, sempre à frente!’. Me veio à memória um post que escrevi aqui sobre a abertura do 1º hotel gay de Nova York há quase 1 ano. Poxa, se Nova York, vanguarda do mundo, demorou tanto a ter um hotel para o segmento LGBT, imagine o restante, pensava eu.

Mas, depois do deslumbramento, fiquei cabisbaixa. A pink pillow Berlin Collection (algo como a Coleção travesseiro rosa de Berlim) reúne 23 hotéis que se comprometem em receber bem o turista LGBT, respeitando esse viajante como ele é. Nada contra a iniciativa, muito pelo contrário. O que me deixou triste foi pensar que isso ainda seja necessário, ter uma ‘categoria’ especial que garanta bem-estar, hospitalidade e respeito.

Esqueça Berlim, reconhecidamente um dos principais destinos gay friendly. Me refiro a qualquer lugar do mundo. Por que tem de ter hotel especial para o turista gay? Independentemente da orientação sexual, a pessoa deve ser bem atendida em todos os hotéis de todas as categorias. Só que infelizmente a gente sabe que ainda falta muito no mundo para isso ser realidade. Então, enquanto a situação não muda, a pink pillow é uma iniciativa inovadora. E Berlim continua sendo impressionante para mim, muito à frente do mundo, em vários aspectos.

Para informações sobre turismo gay na cidade, acesse Gay Berlin (acima, foto de divulgação do visitBerlin).

O que você pensa sobre isso? O turista LGBT deve ter hotéis dedicados exclusivamente a ele? Deixe um comentário com a sua opinião.

Booking.com

DEIXE SEU COMENTÁRIO