Biergarten, jardim de cerveja na Alemanha

O que fazer em um biergarten de Munique? Beber e conversar nestes jardins de cerveja, que lotam de turistas e habitantes no verão. Conhecemos três deles e explicamos por que é um programa para ser feito até em família.

A bandeja pesa, mais até do que a mochila nas costas. Os olhos varrem o horizonte. Não há lugares disponíveis. Aparentemente. Mesmo sem ter vocação para garçom, você ousa dar alguns passos, ganha confiança ao ver que os pratos ainda não caíram no chão, mas segue sem encontrar um espaço onde possa apoiar aquilo tudo. De repente, alguém tenta te puxar pelo casaco. Você olha para trás e se depara com bochechas rosadas, sorriso amistoso, palavras num carregado alemão e um gesto que dispensa tradução.

Pronto. Você acaba de descobrir na prática a primeira regra dos biergartens na Alemanha: a da boa convivência. Dois velhinhos, respeitosamente escoltados por canecões de cerveja, convidavam Nathalia, Joaquim e eu para sentarmos com eles. Nossa estreia num biergarten foi no Viktualienmarket, o mercado de alimentos no centro de Munique.

mesinhas-do-biergarten-do-viktualienmarkt-em-munique-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviaja
Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja

Na capital da Baviera, cerveja é assunto sério. Foi lá que, em 1487, o duque Albert IV instituiu que a toda bebida produzida em Munique só seria considerada pura se levasse apenas três ingredientes em sua fabricação: cevada, lúpulo e água. Um mastro fincado no centro da praça onde estávamos ilustra esse decreto. Posteriormente, com a reunificação da Baviera, foi instituída pelo duque Wilhelm IV, em 1516, a lei da pureza da cerveja para toda a região — que em 2016 completou 500 anos.

200-anos-de-biergarten-na-alemanha-mastro-de-homenagem-em-munique-no-viktualienmarkt-foto-nathalia-molina-comoviaja
LEI DA PUREZA: MARCO DA CERVEJA ALEMÃ

O que é um biergarten

A beleza está na simplicidade. Uma das experiência mais bacanas na Alemanha é se sentar num biergarten. Os jardins de cerveja são áreas de reunião ao ar livre, de comunhão. Um canto para aproveitar o clima quente quando ele finalmente dá as caras naquele pedaço da Europa. Nos restaurantes, se existe uma área com mesas ao ar livre para as pessoas se sentarem e beberem cerveja, o lugar é chamado de biergarten. O espaço pode ser na frente ou no quintal e inclui mesas de madeira com bancos compridos. Por isso, você vai ouvir falar muito de biergarten se estiver viajando pela Alemanha, especialmente da primavera ao verão.

BIERGARTEN EM PLENO VERÃO – Foto: Tommy Loesch/Divulgação

Mas nenhuma cidade personifica melhor espírito desses bares ao ar livre do que Munique. Vale até uma licença poética para chamar de biergarten o espaço que fica dentro da Allianz Arena. Enquanto esperávamos para fazer o tour do estádio e conhecer o Museu do Bayern de Munique, aproveitamos para pedir a dobradinha matadora: cerveja + schnitzel com salada de batata.

BIERGARTEN DA ALLIANZ ARENA
ESTÁ SERVIDO?

 

Na cidade da Baviera, faz parte da vida se sentar num biergarten, para curtir o bom tempo e confraternizar com amigos ou estranhos. Isso explica o convite dos dois senhores para que sentássemos ao lado deles. Havia espaço suficiente para comer e beber sem que nossa presença inibisse o papo que a dupla estava tendo antes de aparecermos.

O que também não impediu que nos comunicássemos com eles. O homem que nos chamou para a mesa arranhou os acordes iniciais de Aquarela do Brasil assim que soube de onde éramos. Disse ainda que já tinha estado por aqui. Se encantou com as poucas palavras em alemão que Joaquim se atreveu a falar. Secou uma segunda caneca com o parceiro, despediu-se e foi embora com o amigo.

Como começou a tradição

Uma história iniciada por acaso. Entre os bávaros do final do século 19, prevalecia o gosto pela cerveja mais leve, de baixa fermentação, um tipo de bebida mais fácil de ser produzida no inverno. Para não deixarem de beber o precioso líquido amarelo também nos meses mais quentes do ano, a solução encontrada pelos cervejeiros foi abrir buracos profundos longe da cidade, mais próximos à beira de rios — em Munique, o Isar é um exemplo. Nestas adegas eram armazenados grandes barris de cerveja, cobertos pelo gelo que se formava durante o inverno rigoroso.

A fim de proteger as caves do sol e do calor, os cervejeiros também plantavam castanheiras. Era ali mesmo, debaixo da sombra das árvores, que se consumia cerveja em temperatura fresca quando o verão chegava. Nascia a tradição dos biergartens, que ficaram populares entre os cidadãos, mas descontentou os donos de tabernas de Munique, que perderam clientes para os jardins de cerveja. Para serenar os ânimos, em 1812, o rei Maximilian Joseph I liberou o consumo da bebida nos jardins das cervejarias, mas não permitiu a venda de comida por esses estabelecimentosSegundo o órgão oficial de turismo de Munique, existem 180 jardins de cerveja na cidade, espalhados por praças e parques — tem até no aeroporto! O mais antigo, ligado à cervejaria Augustiner, data de 1812, é também o maior, com capacidade para receber até 8.000 pessoas. Um biergarten pode ter música ao vivo ou não. Ou apenas o som das conversas, ruidosas na direta proporção em que se acumulam canecas vazias sobres as mesas.

BIERGARTEN DA AUGUSTINER
AUGUSTINER, O MAIOR E O MAIS ANTIGO BIERGARTEN – Foto: Divulgação

Nós fomos ao biergarten da Chinesischer Turm, a torre chinesa que fica no Englischer Garten. No grande parque urbano de Munique há também um jardim de cerveja às margens do lago Kleinhesseloher e até uma mini Hofbräuhaus, versão reduzida da famosa cervejaria que funciona no centro de Munique. O biergarten da torre chinesa é o segundo maior da cidade. Conta com 7.000 lugares, aproximadamente. Alguns bancos têm encosto. No canto fica a parte de venda de comida e de cerveja. Nem é preciso abrir a boca para comprar a bebida. Você entra numa fila, bota o dinheiro num pratinho e pega uma das muitas canecas cheias que repousam sobre o balcão. O esquema é igual nos quiosques do Viktualienmarkt. É ou não é o drive-thru dos sonhos de quem ama cerveja?

Este slideshow necessita de JavaScript.

Compramos uma porção de batata frita e duas canecas de cerveja, e nos sentamos para fazer um piquenique à tarde. Em frente às mesas, um parquinho com brinquedos de madeira é todo das crianças. Joaquim se aventurou por escorregadores, escaladas e afins enquanto Nath e eu curtimos o fim de tarde. A sensação de estar num biergarten é a de quem participa de uma grande festa ao ar livre, em que se celebra a alegria do bem-viver.

DEIXE SEU COMENTÁRIO