Calendário do advento: Natal esperado com chocolate ou outras ideias

Todo Natal o calendário do advento anima crianças com chocolate em janelinhas de papel ou surpresas em bolsos de 1 a 24 de dezembro. A tradição começou na Alemanha e já se espalhou por outros países, como o Canadá

Joaquim tinha 2 anos quando eu trouxe um calendário do advento para ele da Alemanha, em 2011. Desde então, sempre que dezembro se aproxima, ele pede um calendário. Não conseguimos um de chocolate todo ano. No Brasil, já vimos de pano com os bolsinhos numerados de 1 a 24. Mas nosso filho gosta de destacar a janelinha e descobrir o formato do chocolate que tem lá dentro.

UM CHOCOLATE POR DIA, NO CALENDÁRIO DO ADVENTO DE NATAL – Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja

Talvez tenha a ver com sua memória afetiva, sei lá. Ele conheceu o calendário assim, quando ganhou seu primeiro, com um desenho estilizado da cidade alemã de Frankfurt. Escrevi sobre essa tradição no Natal da Alemanha num dos capítulos da série Uma Viagem Encantada pelo Natal na Europa, uma historinha infantil que contei aqui, nos moldes das que eu inventava para meu filhote toda noite, de uma forma espontânea e bem simples, pois ele tinha apenas 2 anos na época.

A preferência do Joaquim pelo calendário de papel certamente se dá também porque ele adora chocolate e pelo fator surpresa. Por mais que seja curioso, Joaquim se contorce de ansiedade até 1 de dezembro, mas espera para abrir dia a dia as janelinhas porque adora a sensação de ser surpreendido. Entendo bem isso porque eu era exatamente assim quando criança.

Por isso, quando viajo para a Europa ou para o Canadá perto do fim do ano, procuro um calendário do advento feito de chocolate para trazer para ele. Em 2016, cheguei a ver no aeroporto de Vancouver, no Canadá, no desembarque. Achei que teria tempo de comprar depois, mas a viagem acabou e eu voltei para casa sem as janelinhas com surpresas.

Em Montréal, em novembro deste ano, tive tempo de rodar pela cidade e encontrei em várias lojas o calendário do advento feito de chocolate. Da Lindt, tinha em farmácias e na Hudson’s Bay, por cerca de 10 ou 12 dólares canadenses. No Dollarama, loja com um tanto de bugigangas e balas, encontrei com um monte de desenhos na capa, por menos de 3 dólares canadenses. Trouxe esses de lá, com um Papai Noel fofo de carro com uma bicharada em clima de Natal. Quando viu que teria calendário neste ano, ele pulava eufórico! É tão bonito ver a felicidade dele com esse simples ritual.

Janelinhas com chocolate ou bolsinhos com outras ideias

O calendário produzido por fabricantes chocolate tem números de 1 a 24 sobre um desenho no papel. A cada número, há uma janelinha para destacar. Lá dentro, o chocolate tem um formato diferente por dia: árvore de Natal, guirlanda, estrela…

GUIRLANDA, ÁRVORE DE NATAL, ESTRELA: A CADA DIA UM FORMATO DIFERENTE

No Brasil, muita gente que faz artesanato vende o calendário do advento feito de tecido ou feltro, com os bolsinhos numerado de 1 a 24. Esse formato é bem comum na Europa e na América do Norte também. Os pais botam lembrancinhas dentro de cada bolso (não necessariamente chocolate), para a criança abrir dia a dia à espera do Natal.

As indústrias de chocolate provavelmente viram aí um nicho que faz do calendário do advento algo prático para os pais e gostoso para os filhos. Em várias cidades da Alemanha e em Viena, na Áustria, eu vi os calendários de várias marcas de chocolate à venda qualquer supermercado. No Canadá, eu nunca tinha visto até o ano passado, quando desembarquei em Vancouver. Ele até devia existir em outras cidades canadenses (eu não tive tempo de caçar mesmo), por isso eu só posso dizer que dei de cara com um naquela ocasião.

NOS SUPERMERCADOS DE VIENA, MUITOS CALENDÁRIOS

Na Europa, também vi numa ida à Suíça (na cidade de Luzern) e à Itália (em Cortina d’Ampezzo), prédios enfeitados com os números dos dias do calendário do advento. Essa viagem foi feita bem no iniciozinho de dezembro, na terceira vez em que ganhei o prêmio da Comissão Europeia de Turismo no Brasil, com aquela série em forma de historinha sobre tradições e mercados de Natal na Europa.

EM LUZERN, CONSTRUÇÃO COM OS NÚMEROS ENTRE AS JANELAS
CONTAGEM NO PRÉDIO TAMBÉM EM CORTINA D’AMPEZZO

 

 

Origem do calendário do advento

A ideia de fazer uma contagem até 24 de dezembro tem sua origem na Alemanha, na época do luteranismo — em 2017, o país celebra 500 anos da Reforma Protestante, que tem o monge alemão Martinho Lutero como um de seus principais nomes. Os luteranos costumavam marcar a giz os dias até o Natal. O calendário do advento de formato comercial e impresso teria sido inventado pelo alemão Gerhard Lang em 1908, em Munique.

Entretanto, um livro infantil de 1851, da escritora Elise Averdieck, já menciona o ritual de, a cada dia até o Natal, ler histórias, cantar canções natalinas e depois pendurar uma gravura num cartaz na parede. A essência do calendário do advento, poderia estar ali, segundo informa Deutsches Weihnachtsmuseum (Museu de Natal) em Rothenburg ob der Tauber, cidadezinha da Rota Romântica da Alemanha.

Seja como for, o calendário do advento começou na Alemanha e se espalhou pelo mundo a partir dos meados do século 20. Na cidade de Stuttgart, fica a empresa Richard Sellmer Verlag, primeira a imprimir um calendário do advento em papel depois da Segunda Guerra, em 1946, por iniciativa do fundador da companhia, Richard Sellmer.

Antes de fazer a pesquisa para escrever esse texto eu achava que os calendário de pano haviam surgido antes dos exemplares de papel, mas, ao que parece, os que têm bolsinhos surgiram depois da guerra porque o papel era muito caro. De acordo com a empresa Richard Sellmer Verlag, calendários com chocolatinhos dentro já eram vistos em 1958.

JANELAS COM CHOCOLATE DESDE 1958

Seja em que formato for, o importante é o propósito em si. Batizada na igreja católica romana, como muitos brasileiros, e sem ter alemães na família, eu nunca tinha ouvido falar nessa tradição, originalmente luterana. Conheci o calendário do advento em 2011, quando estive na Alemanha na época antes do Natal, durante um cruzeiro pelo Rio Danúbio — que ganhei como prêmio da Comissão Europeia de Turismo por escrever Costa Amalfitana, na Itália: de ônibus por Positano, Sorrento e Amalfi, escolhida Melhor Reportagem na Internet daquele ano sobre a Europa.

Atualmente ela está se espalhando. Fiquei feliz de encontrar agora aos montes em Montréal. E também que a tradição esteja se espalhando no Brasil. Assim, outras crianças poderão sentir essa alegria a conta-gotas até o Natal.

ALEGRIA DO JOAQUIM A CADA DIA DO CALENDÁRIO DO ADVENTO

 

Ritual ou consumismo?

Como tudo o que vira produto em época de Natal, o calendário também recebe críticas por ser mais um objeto de consumo ligado à festa cristã. Também me incomoda o consumismo desenfreado que toma dezembro todo ano. Mas acho que vai de cada um exercitar o que vale e o que não vale como experiência. Para nós, Joaquim abrir as janelinhas dia a dia se tornou um ritual em família, um momento em que estamos meu filho e eu, cultivando nossa conexão como em tantos outras situações da nossa rotina. Mas, nesse caso, com algo ligado ao meu mundo (viajar, descobrir histórias e escrever sobre elas) que eu pude apresentar a ele.

Preocupados com o significado do advento, pais vêm inventando novas modalidades de calendário. Algumas com uma boa ação a cada dia de dezembro. Respeito a ideia. Tudo é válido, para trazer bem-estar. E cada um sabe o que traz felicidade para si. Aqui em casa preferimos acreditar que o bem deve ser feito dia a dia durante o ano inteiro. É o que buscamos cultivar em nós mesmos e ensinar para nosso filho, para que o sentido do Natal vá além desse aspecto comercial, mas sem perder a magia do lúdico.

UM FELIZ NATAL PARA TODOS!

DEIXE SEU COMENTÁRIO