Comidas típicas da Alemanha: 13 pratos para experimentar na viagem

Comidas típicas da Alemanha não são apenas salsichas. As receitas da culinária são vistas do café da manhã alemão à hora do jantar. E ganharam o mundo, como é o caso do cless, versão brasileira do spätzle

Quando você abre muitos cardápios de restaurantes, as comidas típicas da Alemanha incluem salsicha e muita carne de porco. Dois pratos típicos também são encontrados com certa facilidade nas cidades da Alemanha para turismo: sauerkraut (o chucrute, como muitos de nós conhecemos) e o schnitzel (escalope empanado). Apesar de ser uma dupla popular, nem uma nem outra receita é originária da cozinha alemã.

O escalope empanado vem da Áustria e quase sempre faz dobradinha com batatas, fritas ou forma de salada. Já o repolho em conserva — geralmente servido com carne de porco ou salsichas — tem raízes na região francesa da Alsácia. Entretanto, como são muito frequentes em refeições na Alemanha, o chucrute e o schnitzel já foram ‘adotados’ e não poderiam ficar de fora desta nossa lista com 13 comidas típicas da Alemanha. Se você não está com fome, prepare-se porque essa seleção vai abrir seu apetite.

1 > BREZEL

O pão em formato de laço não é só um costume da Baviera, onde surgiu há cerca de 500 anos, mas é consumido por todo o país. Pretzel, como conhecemos por aqui, tem aquele inconfundível sal grosso sobre a massa. Figura obrigatoriamente na Oktoberfest e em biergarten, garantido que a pressão de quem bebe um pouco mais não vá cair. Na tradicional Horbräuhaus, cervejaria em Munique, o funcionário circula pelo salão com uma generosa cesta de brezel para quem quiser dar umas mordidas entre um gole e outro.

Foto: Nathalia Molina @ComoViaja
Foto: Stuttgart Marketing GmbH/Divulgação

2 > SALSICHA

Não, não é pegadinha. Dissemos lá no começo do texto que a Alemanha não se resume a salsicha (em alemão, wurst). Mas como ignorar a tradição de um país que soma nada menos do 1.500 variações do embutido? Toda região tem sua típica. A nossa preferida é a salsicha bratwurst, de Nuremberg. Em Berlim, não deixe de provar a currywurst, que tem até museu em sua homenagem na cidade. Cada salsicha na Alemanha ostenta uma característica especial, tanto em sabor quanto em tamanho. Olha que bonito esse prato (na foto abaixo) de salsichas com chucrute que pedimos na cervejaria Hofbräuhaus em Munique.

Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

3 > SCHWÄBISCHE MAULTASCHEN

A carne escondida dentro do ravióli teria sido uma transgressão de monges que não queriam jejuar na Sexta-feira Santa. Lenda ou não, o fato é que o prato se tornou uma das especialidades da cozinha da Suábia, região entre a Baviera e Baden-Württenberg. O espinafre picado também faz parte do recheio da massa, que pode ser servida regada por um caldo ou passada na frigideira e levada à mesa coberta por rodelas de cebola igualmente fritas. Provei essa delícia em Stuttgart, antes de fazer a digestão numa caminhada pelo centro histórico e partir para a visita ao Wilhelma, zoológico e jardim botânico da cidade.

Foto: Stuttgart Marketing GmbH/Divulgação

4 > SPÄTZLE

Assim como o Maultaschen, essa massa vem da Suábia. Tem pinta de nhoque, mas pode ser servido em formato comprido de macarrão. É protagonista de uma refeição quando está coberto por queijo e um toque de cebola frita. Também faz as vezes de acompanhamento de um bom goulash. A grande presença de imigrantes alemães no sul do Brasil resultou na receita do cless, uma variação do spätlze.

5 > KARTOFFELKLÖSSE

Kartoffel é batata em alemão — conheça outras palavras em alemão vistas em menu de restaurante na viagem e leia dicas e frases básicas de alemão para viagem. Esta bola de massa de batata surgiu na Turíngia, estado no centro do mapa da Alemanha, localizado acima da Baviera. Serve de acompanhamento para carne. Durante nossa viagem pela Alemanha, Nathalia e eu dividíamos vários pratos para podermos experimentar um pouco de tudo. Em Munique, num restaurante colado à Marienplatz, a praça principal da cidade, ela pediu Spanferkelbraten, generosos pedaços de carne de porco assados, que vieram acompanhados de molho de cerveja escura e kartoffelklösse. Olha a carinha dela de quem acertou no pedido!

Fotos: Fernando Victorino @ComoViaja

6 > SAUERKRAUT

Repolho azedo. Tradução que assusta à primeira vista. Mas esse é o acompanhamento que mais nos remete à Alemanha. Ele sempre faz companhia ao joelho de porco e à salsicha, especialmente a branca. Confesso, eu tinha um certo bode de comer chucrute até desembarcar em solo alemão. Me amarrei na versão preparada com repolho roxo, que sempre me pareceu mais adocicado que o branco. Esse abaixo comemos na nossa primeira noite em Berlim, com um bolo de carne (uma almôndega avantajada) e batatas.

Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

7 > EISBEIN

O joelho de porco é outro símbolo da culinária alemã. Trata-se de um pedaço considerável de carne envolvido por uma respeitável camada de gordura. Olha, dá para dividir a porção se você não estiver com aquela fome de homem das cavernas. Há quem prefira a versão cozida. Quando frito ou grelhado, a parte externa fica escura e crocante — Nathalia se manifesta e diz que prefere assim. Foi desse modo que ela se lambuzou em Frankfurt — vê só o tamanho de cada eisbein na foto! O chucrute e uma das dezenas de formas de servir batata acompanham esse prato.

Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

8 > SCHNITZEL

Estás na Alemanha? Bateu aquela fome? Não gosta muito de repolho, porco e afins? Basta dizer a palavra mágica Schnitzel (pronuncia-se: xí-ní-tzel). Estou falando de um bom bife à milanesa, feito com vitela e encontrado com facilidade nos lugares que vendem comida por toda a Alemanha. Além de pratos típicos, eu provei schnitzel nas 5 cidades da nossa viagem à Alemanha em família. Até no antigo restaurante do DDR Museum, museu que mostra como era a antiga Alemanha Oriental, eu comi a receita feita à moda comunista (estava bom, viu). E nem precisa gastar saliva pedindo acompanhamento, já que uma porção de batatas (fritas ou em forma de salada) faz as vezes de escolta. Ah, e antes que alguém grite, repito o que escrevi na abertura do texto: o Schnitzel, de fato, é austríaco de nascimento, alemão de coração.

Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

9 > SAUERBRATEN

O ingrediente principal é a carne de boi ou de vitela (novilho ainda jovem), que descansa por um mínimo de 3 dias em uma solução que leva vinho, vinagre, temperos e especiarias. Depois de ser frita rapidamente, ela é cozida por cerca de 2 horas. Esse tipo de carne assada alemã é um prato típico da Renânia, região oeste da Alemanha, banhada pelo rio Reno.

10 > REIBENKUCHEN MIT APFELMUS

A panqueca de batata é uma massinha saborosa por si só. Mas a tradição alemã pede o purê de maçã para lambuzá-la. O prato típico da Renânia também está entre as especialidades da Baviera. É possível encontrar esse mesmo prato com o nome de Kartoffelpuffer. A gente devorou umas boas panquequinhas num dos restaurantes da Legoland Alemanha. Veja se o purê não lembra aquelas papinhas para bebês que estão aprendendo a comer.

11 > ASPARGOS

Adoradora de aspargos, Nathalia diz que comeu os melhores de sua vida numa viagem à Saxônia, quando visitou Dresden, Leipzig e várias cidades pequenas ao redor dessas duas. Burgdorf, Nienburg e Braunschweig são algumas cidades da região com longa tradição no cultivo dessa hortaliça, que tem até uma rota de carro exclusiva para ser percorrida. Ao longo de 750 km de estrada, dá para admirar os campos de aspargo (spargel, em alemão) e ainda provar receitas na época da colheita, entre o fim de abril e os últimos dias de junho. Como Nathalia não dispensa uma oportunidade de degustar aspargos, pediu esses brancos numa das nossas refeições em Nuremberg.

Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

12 > FISCHBRÖTCHEN

Se dormir é para os fracos, o que dizer de quem levanta cedo num domingo de manhã para visitar o mercado de peixe de Hamburgo? Além de muita disposição, a razão para se aventurar por um dos pontos turísticos da cidade portuária pode ser devorar sanduíches de arenque ou de salmão. Aos domingos, o café da manhã dos moradores e de muitos turistas é ali nas barracas do porto, a maioria delas de frente para o vaivém dos navios.

13 > FRANKFURTER GRÜNE SOSSE

A cor verde do molho se explica pela quantidade de ervas frescas que leva a receita: sete, ao todo. Elas são misturadas a gema, óleo e suco de limão. Era o prato preferido do escritor Göethe. O molho é normalmente servido com batatas e ovos ou panquecas. Mas é possível prová-lo com carnes e peixes também, além de releituras em que o molho verde é elegantemente apresentado, como nesse prato do Hotel Die Sonne Frankenberg, integrante da luxuosa associação Relais & Châteaux, localizado na cidade de Frankenberg, no estado de Hessen, onde fica Frankfurt. Aliás, como símbolo da gastronomia dessa última cidade, o molho verde tem até festival anual realizado em Frankfurt em maio.

Foto: Hotel Die Sonne Frankenberg/Relais & Châteaux /Divulgação

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO