Dicas para a Festa de Iemanjá, em Salvador

2 de fevereiro é dia de Iemanjá. Salve a rainha do mar! Hoje tem festa para ela, particularmente em Salvador. As ruas do bairro do Rio Vermelho ficam lotadas de gente que leva flores e oferendas à rainha do mar. Eu já estive na capital baiana duas vezes nessa data e digo que é mesmo emocionante.

A primeira delas foi em 2002 (conto neste texto — quem gosta de música clica lá porque incluí uma seleção especial de vídeos de canções em homenagem a Iemanjá). Por acaso me vi no meio da festa e, como boa brasileira sincrética, joguei minhas rosas e fiz meus pedidos. Dez anos depois quis voltar para agradecer por tudo realizado.

Acabei fazendo isso em 2013. Decidimos esticar nossa ida à Praia do Forte, no litoral norte da Bahia, com uns dias em Salvador, justamente para conseguir estar na festa de Iemanjá. Levamos flores para a rainha do mar (meu filho e eu escolhemos rosas vermelhas; meu marido, branca). Foi um momento belo e delicado.

Nosso filho, Joaquim, tinha quase 4 anos. Carregou sua rosa feliz pelas ruas de mão dada ao pai, enquanto observava com curiosidade as baianas que cruzavam o caminho.

ROSAS E BAIANAS
ROSAS E BAIANAS

Gostou de se sentar nas pedras do Rio Vermelho comigo, atirar flores ao mar, esperar Iemanjá buscá-las e pensar em coisas boas da vida a agradecer. Pedi somente saúde. Até o início dos anos 2000 era algo que eu nunca pedia, como conto no texto sobre a primeira vez em que estive na festa do 2 de fevereiro em Salvador. Depois do que descrevo lá, mudei de atitude.

NOSSA FAMÍLIA NO RIO VERMELHO, EM SALVADOR - Foto: Nathalia Molina @ComoViaja
NOSSA FAMÍLIA NO RIO VERMELHO – Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

Dicas para você ir à festa de Iemanjá

Considerando o que vi nas 2 vezes em que estive lá durante a celebração, tenho as seguintes informações e dicas para quem pretende prestigiar a querida orixá africana, a cada 2 de fevereiro, em Salvador:

1 >> QUANDO CHEGAR AO HOTEL

Se for ficar hospedado no Rio Vermelho, procure se instalar no hotel antes do 2 de fevereiro. O dia da festa é muito movimentado. Até você chegar, fazer o check-in e deixar a mala no quarto, pode virar uma correria acompanhar a festa. Nós fomos para Salvador na véspera, e já rolava um frenesi no ar.

TUDO AZUL E BRANCO
TUDO AZUL E BRANCO

2 >> ONDE SE HOSPEDAR

Se o foco central da sua viagem for a festa de Iemanjá, um hotel no bairro em que ocorre a celebração pode ser uma boa. Nós ficamos no Ibis Salvador Rio Vermelho. Funcional, com bom preço e perto o suficiente para se ir andando até o trecho da praia onde são jogadas as flores e de onde saem os barcos dos pescadores com as oferendas. Do lado do Ibis, está o Mercure Salvador Rio Vermelho, de propriedade da mesma rede hoteleira Accor, mas numa categoria superior. Veja mais opções de hotéis no Rio Vermelho.

hotel-ibis-salvador-rio-vermelho-bom-e-barato-foto-nathalia-molina-comoviaja
HOTEL BOM E BARATO

3 >> COMO SE LOCOMOVER

Talvez a única dica a ser dada aqui seja evite a qualquer custo estar num carro no Rio Vermelho neste dia. Não importa se alugado, táxi ou até carona, o risco é alto de você ficar engarrafado nas ruas da região. O esquema de trânsito costuma ser diferente nessa data (vias são fechadas, e rotas, alteradas), então, os veículos costumam se avolumar. Hospedado no Rio Vermelho, o indicado é mesmo caminhar.

RUAS AINDA TRANQUILAS, PELA MANHÃ
RUAS AINDA TRANQUILAS, PELA MANHÃ

4 >> O QUE LEVAR

Bastante protetor solar e alguma coisa para cabeça, um boné ou um chapéu cai bem. O sol pega fortíssimo nas rochas e nas ruas do Rio Vermelho. Nem precisa levar garrafinha de água (são facilmente encontradas à venda por ambulantes e nas barracas), mas lembre-se de beber muuuiiita água. Como em todo destino de calor (ainda mais no alto verão), vale separar roupas leves: vestidos, saias, bermudas, camisetas (deixe a camisa polo em casa; ela não combina com Salvador). Como em toda festa de rua, vale levar apenas documentos essenciais e algum dinheiro, sem grandes carteiras ou bolsas.

ROUPAS LEVES PARA CELEBRAR A RAINHA DO MAR
ROUPA LEVE e BONÉ PARA CELEBRAR A RAINHA DO MAR

5 >> EM QUE HORÁRIO IR AO RIO VERMELHO

Tudo depende do tipo de festa que você procura. Se a ideia for mandar sua oferenda com certa tranquilidade, quanto mais cedo, melhor. Nós tomamos café e partimos para a praia, por volta de umas 9 horas. As ruas estavam com movimento, mas ainda sem muvuca. Como uma amiga baiana nos convidou para comer um cozido na casa dela no Rio Vermelho — no 2 de fevereiro, é comum os moradores fazerem almoço e enfeitarem a casa para celebrar a data entre amigos –, subimos até a parte alta do mesmo bairro. De lá, vimos a saída dos barcos de pescadores para a entrega das oferendas. Tudo bonito.

COBERTURA ENFEITADA COM FESTA
COBERTURA ENFEITADA COM FESTA
JOAQUIM OLHANDO A PROCISSÃO DOS BARCOS
JOAQUIM OLHANDO A PROCISSÃO DOS BARCOS

Na volta, mais para o fim da tarde, a lotação no Rio Vermelho já era tremenda. É uma festa popular, então, é óbvio que não falta gente na rua, né? Ainda mais que o Dia de Iemanjá acaba servindo como uma espécie de esquenta para o Carnaval pois a animação só aumenta até o encontro da folia. Cruzamos as ruas abarrotadas, em ritmo de axé, com o Joaquim de cavalinho.

DE TARDE, RUAS LOTADAS
DE TARDE, RUAS LOTADAS

6 >> ONDE COMER

Ou você tem um amigo baiano para aproveitar a tradição do almoço, ou procura um restaurante no Rio Vermelho. Nós vimos vários, cercados com tapume, organizando almoços especiais para a data. Recomenda-se pesquisar e reservar antes, para garantir um lugar. Há também barracas montadas para a ocasião nas ruas próximas à praia. E tem ainda festas que botam todo mundo para dançar e comemorar desde a noite da véspera. Caso da Oferendas, promovida pelo Lálá Multiespaço. Em 2017, a rua da Paciência vai ser tomada pelo som de DJ’s e apresentações de artistas como Karina Buhr e Anelis Assumpção. É de graça para quem quiser ficar na rua.

Se estiver hospedado em outra área da cidade, talvez seja mais tranquilo ver a festividade do Rio Vermelho logo pela manhã e depois almoçar e terminar o dia distante do bairro. Ou ficar e se jogar na festa até altas horas.

BARES CERCADOS NO DIA DE IEMANJÁ
BARES CERCADOS NO DIA DE IEMANJÁ
BARRACAS NO RIO VERMELHO
BARRACAS NO RIO VERMELHO

7 >> O QUE OFERECER

O que você quiser. Mas o costume é dar a Iemanjá algo que lembre feminilidade ou vaidade: flores, espelhos, perfume, sabonete… Nós preferimos flores, pela simbologia e por serem naturais (assim são absorvidas pelo meio ambiente com mais facilidade). Há muitos vendedores de flores pelo caminho até a orla. Para se ter ideia da grandiosidade dessa festa no Brasil, o comércio de rosas aumenta em 30% no fim de janeiro, de acordo com os produtores de Holambra, no interior de São Paulo. Tudo por causa da celebração a Iemanjá.

No Ibis, na véspera da festa, um cesto na recepção recebia as oferendas dos hóspedes. Os presentes podem ser entregues na Casa de Iemanjá, no Rio Vermelho, até o meio da tarde, quando barcos deixam a região em direção ao mar. Se fizer questão de enviar assim seu presente para a rainha do mar, prepare-se para enfrentar fila. Eu vi uma longa nas duas vezes em que estive lá. Para tentar evitá-la, vá bem cedo, por volta das 5 horas da manhã.

OFERENDAS NO HOTEL
OFERENDAS NO HOTEL

DEIXE SEU COMENTÁRIO