Passeio com criança em São Paulo: 10 dicas

Lista de passeios para crianças em São Paulo: do Catavento ao Museu da Imaginação, incluindo Parque da Mônica, aquário e KidZania. E ainda: clássicos entre a garotada, como o Museu do Futebol, o aquário e o zoológico

Nas férias ou nos fins de semana, não importa. Uma dúvida sempre assola a cabecinha de pais preocupados com o divertimento de seus filhos: onde levar a criançada para gastar energia, se divertir? Quem nunca? Nathalia e eu vivemos essa questão desde 2009, com o nascimento de nosso filho,  Joaquim. E dá-lhe de trocar informações com os amigos, com os amigos dos amigos sobre a boa da semana, a novidade da temporada, aquele lugar de onde postaram aquela foto em que a criança parecia estar se divertindo muito.

E, como São Paulo é uma cidade em constante mutação, há sempre um passeio diferente que pintou. Ou clássicos que podem ser (re)visitados. Pensando nisso, elaboramos uma lista com 10 sugestões de lugares para levar seus meninos e meninas, não importa em que época do ano.

Boa diversão!

JOAQUIM DE CABELO EM PÉ, NO CATAVENTO CULTURAL - Foto: Nathalia Molina @ComoViaja
JOAQUIM DE CABELO EM PÉ, NO CATAVENTO – Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

1 >> MUSEU CATAVENTO

Um dos passeios preferidos de nosso filho, Joaquim, tanto que ele pede para repetir sempre que possível. Apresentar o mundo maravilhoso da Ciência para as crianças nem sempre é tarefa fácil. No Museu Catavento, elas aprendem de forma interativa e divertida, a partir de experiências montadas em 4 seções: Universo, Vida, Engenho e Sociedade. É um museu que não fica devendo nada a atrações internacionais. Em Munique, visitamos a área infantil do Deutsches Museum, chamada de Kinderreich. Então com 5 anos, Joaquim aprendeu e se divertiu muito com as atividades interativas propostas pelo museu alemão, do mesmo modo que gargalhou muito com o experimento de eletromagnetismo no Catavento, por exemplo. Lá ele também curtiu o desafio de caminhar na casa de chão inclinado e de conhecer as estrelas que estão representadas na bandeira brasileira. É preciso retirar senha para participar de atividades como o Monte dos Sábios (parede de escalada), Viagem ao Fundo do Mar (simulação de um passeio de submarino) ou Estúdio de TV (gravação ao vivo de um programa). Desde que abriu suas portas, em 2009, o Catavento recebeu mais 3,6 milhões de pessoas, tornando-se o museu mais visitado do estado de São Paulo.

CIÊNCIA EM FAMÍLIA - Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja
CIÊNCIA EM FAMÍLIA – Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja
crianca-passeio-no-catavento-cultural-em-sao-paulo-foto-nathalia-molina-comoviaja-destaque
INTERATIVIDADE

2 >> PARQUE DA MÔNICA

Roda Gigante da Turma, Ce-bolinhas, Trombada do Louco, Montanha-Russa do Astronauta e o novo Brinquedinho da Turma, circuito com túneis, piscina de bolinhas e escorregador. E isso é só o começo. No Parque da Mônica, todas as brincadeiras e atividades envolvem a turminha criada por Mauricio de Sousa. Há encontros com os personagens para fotos e apresentações musicais em horários marcados. Coberto, o parque é pensado para pais e filhos brincarem juntos o dia inteiro. A infraestrutura inclui loja temática, praça de alimentação (opções de comida e bebida pagas à parte) e espaço família, com área para amamentação, troca de fraldas e empréstimo de carrinhos de bebê, tudo para dar mais conforto à visita. Fica dentro do Shopping SP Market, na zona sul de São Paulo.

Foto: Divulgação
MONTANHA-RUSSA DO ASTRONAUTA – Fotos: Divulgação
QUARTO DO CEBOLINHA
QUARTO DO CEBOLINHA

3 >> PLANETÁRIO DO IBIRAPUERA

Inaugurado em janeiro de 1957, o Planetário do Ibirapuera, em São Paulo, foi o primeiro do gênero no Brasil. Ele é uma das atrações do Parque do Ibirapuera, na zona sul da capital, e é facilmente notado por causa do formato de sua construção, que lembra um pouco um disco voador. Como tantas outras crianças, Joaquim de vez em quando anda no mundo da lua, o que talvez explique a curiosidade dele sobre astros e estrelas. Nós o levamos ao planetário em um fim de semana de outubro. Normalmente, as projeções são acompanhadas de uma explicação previamente gravada. Sem que soubéssemos, por sorte mesmo, a última sessão daquele dia teria o conteúdo explicativo passado ao vivo por um membro da equipe de astronomia do planetário. Além de mais natural, rola uma certa interação com o público, que ainda tira uma casquinha no fim da apresentação, fazendo perguntas ao especialista.

Foto: Nathalia Molina @ComoViaja
Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

4 >> KIDZANIA SÃO PAULO

Quase toda criança gosta de imitar os pais em suas profissões. Na Kidzania, a brincadeira consiste em viver da rotina de um hospital ou de um corpo de bombeiros até o dia a dia de uma agência de publicidade — nosso filho, Joaquim, experimentou 7 profissões. As atividades podem ser realizadas de acordo com a faixa etária da criança e são feitas em ambientes patrocinados por empresas parceiras do parque. O trabalho é remunerado em moeda local, o kidzo. É com o dinheiro conquistado no ‘trabalho’ que as crianças podem desfrutar dos produtos e dos serviços dessa pequena cidade do faz de conta. Criada no México, em 1999, e presente em cidades como Londres, Tóquio e Santiago, a Kidzania propõe uma mistura de entretenimento com educação. Em São Paulo, funciona no 2º subsolo do Shopping Eldorado, na zona oeste da capital.

HOSPITAL - Fotos: Divulgação
HOSPITAL NA CIDADE DE BRINCADEIRA – Fotos: Divulgação
CORPO DE BOMBEIROS
CORPO DE BOMBEIROS

5 >> MUSEU DA IMAGINAÇÃO

Mais do que movimentar braços e pernas, no recém-inaugurado Museu da Imaginação as crianças são convidadas a exercitar o livre pensamento a partir de obras de arte e de instalações, como a escultura cinética com 20 bolas que sobem e descem no hall de entrada ou as releituras de Picasso feitas por 4 artistas brasileiros. O importante aqui não é só contemplar. Sentir é parte da experiência e do aprendizado. E a função dos monitores do museu é facilitar essa descoberta, sem interferência no processo de percepção e interação com o ambiente. O museu possui fraldário, espaço para amamentação, lanchonete e wifi.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

6 >> URBAN MOTION

Se a ideia é fazer as crianças gastarem energia, o Urban Motion é uma boa pedida. O parque com 41 trampolins não deixa ninguém parado. Meninos e meninas se arriscam no parkour impulsionados pela cama elástica, brincam de queimada enquanto pulam e ainda testam o equilíbrio no slackline sobre uma piscina de blocos de espuma.

Foto: Nathalia Molina @ComoViaja
Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

7 >> AQUÁRIO DE SÃO PAULO

Apesar do nome, o aquário já não se resume só a espécies que vivem nos mares e nos rios. O tanque dos tubarões e das raias, o peixe-palhaço e o tang azul (Nemo e Dory, como as crianças costumam chamar aos berros quando os encontram) são os preferidos do público, dividindo a atenção com os bugios e os tamanduás. Levamos nosso menino a primeira vez quando ele era bem miudinho, mas ele voltou recentemente com a escola. Então, a partir de agora, Joaquim dá mais detalhes: “Os jacarés ficam junto com as tartarugas num lago rasinho. As crianças podem se divertir vendo os bichos na área do aeroporto, onde cada sala representa uma região do mundo com bichos desse lugar. Na África tem o lêmure e na Austrália tem os cangurus e os coalas.”

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

8 >> MUSEU DO FUTEBOL

Ideal para mostrar às crianças que o futebol surgiu muito antes do PES (o jogo mais conhecido entre os amantes de videogame). No Museu do Futebol, a paixão por esse esporte está materializada na forma de camisas, fotos, objetos, filmes e narrações que contam um pouco da origem e das glórias do esporte número 1 do Brasil. Há muitas salas interativas, como a do Chute a Gol, em que adultos e crianças podem testar a pontaria com auxílio da tecnologia. É uma das áreas preferidas do Joaquim, que também gostou do Jogo de Corpo, campo de futebol virtual. Profissionalmente e pessoalmente, visitei o museu diversas vezes e acho a Sala das Copas um dos espaços mais legais porque relaciona fatos históricos da humanidade com o período dos mundiais. Do lado de fora, o museu costuma manter uma programação de férias especial para a meninada, com atividades que vão de brincadeiras tradicionais à contação de histórias e oficinas. E o melhor: o museu fica no Estádio do Pacaembu, um ícone da cidade de São Paulo.

museu-do-futebol-em-sao-paulo-entrada-passeio-com-crianca-foto-nathalia-molina-comoviaja
Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

9 >> ZOOLÓGICO DE SÃO PAULO

O leão Django, as onças-pardas Pacha e Kay e a serpente Tim são os mais novos habitantes do Zoológico de São Paulo. Eles chegaram em outubro de 2016 para fazer companhia a outros 3.200 animais. Espécies em extinção como o Gavial da Malásia, réptil que lembra um pouco o crocodilo, e micos-leões são algumas das atrações. Passeio de fôlego, especialmente com crianças pequenas, mas elas adoram. Visitamos o zoo pela primeira vez quando o Joaquim tinha menos de 2 anos. E ter levado o carrinho foi fundamental. Seria legal se houvesse por aqui o mesmo hábito da Alemanha, onde os pais carregam os filhos em carrinhos de madeira para várias crianças — vimos isso nas visitas que fizemos aos zoológicos de Berlim, Munique, Stuttgart e Nuremberg. Fique atento porque, nas férias, o zoológico costuma preparar uma programação especial, como o Mundo dos Dinossauros, exposição interativa com 25 robôs em tamanho real e réplicas de fósseis — a entrada só é possível com ingresso combinado para o zoo. Vizinho ao zoológico, o Zoo Safari permite ao visitante chegar bem próximo de macacos, tigres, leões entre outros animais silvestres. Esse passeio pode ser feito em carro próprio ou nas vans do parque.

GIRAFAS - Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja
JOAQUIM INTERESSADO PELAS GIRAFAS
ELEFANTE - Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja
OLHA O ELEFANTE – Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja

 


10 >> SESC

É o chamado programa BBB: bom, bacana e barato (muitas vezes até de graça). Cada uma das 19 unidades do Sesc São Paulo na cidade (41 em todo o Estado) mantém uma programação diversificada, com muita arte, cultura, esporte e entretenimento. Mas nem é preciso ter em mente qual peça, show ou atividade ver. Basta se dirigir a uma unidade para logo perceber que tem alguma coisa legal rolando — no mínimo, sempre há espaço para as crianças correrem e se divertirem. A agenda de férias de verão é agitada, cheia de eventos esportivos principalmente. E ainda: os restaurantes e lanchonetes têm comida boa e preço super, super acessível. Bom, somos suspeitos quando o assunto é Sesc, tanto é que Nathalia já havia escrito sobre essa opção de cultura e diversão a bom preço em São Paulo.

Foto: Nathalia Molina @ComoViaja
SESC POMPEIA – Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

DEIXE SEU COMENTÁRIO