Residenz, em Munique: 10 ambientes imperdíveis

Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja
Fotos: Nathalia Molina @ComoViaja

Casa de uma das dinastias mais duradouras de toda a Europa, a dos Wittelsbach (1180 a 1918), o Residenz a construção é uma das principais atrações de Munique, na Alemanha. De todos os lugares que visitamos em família na Alemanha , o maior palácio urbano do país foi para mim e para Nathalia um dos mais marcantes, seja por sua imponência ou pela riqueza de sua decoração. E porque, acima de tudo, amamos história.

A Baviera ainda não era um reino quando a corte se transferiu do Alter Hof para o Neuveste, palácio de estilo gótico erguido a partir de 1385. Com a permanência dos Wittelsbach no centro do poder — primeiro como duques, depois na figura de eleitores e, por fim, como reis — 6 séculos foram mais do que suficientes para que cada governante ampliasse o Residenz, imprimindo à construção nada menos do que 4 estilos diferentes em sua arquitetura e decoração: Renascentista, Barroco, Rococó e Neoclássico.

Formado por 10 pátios e 130 salas, o Residenz foi atingido por pesados bombardeios, o que exigiu sua reconstrução a partir do final da Segunda Guerra, em 1945. Duas décadas antes já funcionava como museu. A valiosa diversidade de seu acervo fica evidente em cada aposento, com seus móveis, tapeçarias, quadros, esculturas e peças religiosas.

O visitante que chega para conhecer o Residenz pode ficar um pouco perdido, sem entender o que ver, no que reparar diante de tanta oferta. Pensando nisso, elaboramos a seguir um pequeno roteiro detalhando ambientes de relevância histórica, artística e, claro, que nos impressionaram. Veja 10 ambientes imperdíveis do palácio para você conhecer em sua visita:


1 >> HOFGARTEN, O JARDIM DA CORTE

munique-hofgarten-no-residenz-crianca-na-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaEssa foi a primeira parte do palácio que vimos. Como sua entrada é livre, estivemos lá dias antes de entrar no Residenz. Durante uma caminhada pela Odeonplatz, praça em frente ao Hofgarten, resolvemos entrar para passear pelo jardim da corte. Era perto do meio-dia e havia muita gente sentada nos bancos. Muitos com livros nas mãos, embalados pela sinfonia das fontes.

A inspiração renascentista está presente nessa área extensa do Residenz. O trabalho de construção teve início no ducado de Maximiliano I, mas o jardim foi redesenhado diversas vezes desde 1613. Destaca-se no Hofgarten o pavilhão de 8 arcos com uma estátua de bronze no alto. Lá estão simbolizados os tesouros da Baviera: o sal, a água e os grãos. Depois de ter de conter sua energia típica de criança, soltamos Joaquim para correr pelos caminhos de cascalhos. Os canteiros não estavam altos, então a gente não perdia ele de vista.


2 >> SCHATZKAMMER, A ÁREA DO TESOURO

residenz-em-munique-visita-ao-tesouro-do-palacio-schatkammer-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaNo dia em que voltamos para ver o Residenz, começamos a visita por aqui. A entrada fica ao lado do guarda-volumes e acabamos naturalmente nos encaminhando para ali. Mas também pode ser bom terminar a visitar pela área do tesouro, se a ideia for ir embora com imagens impressionantes de muito ouro e opulência.

Colecionador de arte, Albrecht V também era apaixonado por joias e trabalhos com pedras preciosas. Em seu testamento, o duque ordenou que todo tesouro pertencente à dinastia Wittelsbach deveria ser guardado, não poderia ser vendido. O desejo foi seguido por seus sucessores, e hoje é possível ver em torno de 1.250 peças na ala do tesouro do Residenz. Ao longo de 10 salas estão expostos trabalhos em ouro, cristal, safira, diamantes, marfim, sob a forma de insígnias, jogos de copos, medalhas.

A coroa dos reis da Baviera que repousa sobre uma almofada especial é um item de grande destaque. Produzida em Paris, a peça leva ouro, prata, diamantes, rubis e esmeraldas, mas não chegou a ser utilizada por Maximilian Joseph I, proclamado 1º rei da Baviera por Napoleão Bonaparte em 1º de janeiro de 1806.

estatua-de-sao-jorge-no-residenz-em-munique-tesouro-do-palacio-schatkammer-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaA estátua de São Jorge apresenta rosto semelhante ao do duque Wilhelm, a quem a peça foi dada em 1586. O conjunto chama a atenção pela quantidade de pedras utilizadas na composição. Feita de ouro, leva diamante, esmeraldas, rubis, opalas, ágata, cristal de rocha entre outras pedras preciosas.

Nathalia ficou apaixonada pelo conjunto formado por coroa, colar, pulseira e brincos de Therese de Saxônia-Hildburghausen, aquela que se casou com o príncipe Ludwig (mais tarde, rei Ludwig I) e que a celebração dessa união deu origem à Oktoberfest, a mais popular festa da cerveja na Alemanha.

munique-com-crianca-tesouro-do-palacio-residenz-schatkammer-conjunto-de-viagem-de-marie-louise-da-austria-mulher-de-napoleao-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaJá Joaquim aproveitou para dar um tapa no visual diante do magnífico conjunto de viagem que pertenceu a Marie Louise da Áustria, segunda mulher de Napoleão Bonaparte. É uma grande caixa com 120 itens guardados em pequenos compartimentos, quase ocultos quando se encontram fechados (possui de serviço de jantar para duas pessoas a material de costura e até instrumentos de dentista) . Ao abrir a tampa da caixa surge o espelho que nosso filho usou para ajeitar seu cabelo. O trabalho de ourivesaria é de 1812 e foi feito com materiais como madrepérola, marfim, concha de tartaruga e ébano.


3 >> ANTIQUARIUM, O ESPAÇO MAIS DESLUMBRANTE

munique-em-familia-alemanha-com-crianca-antiquarium-no-palacio-residenz-foto-nathalia-molina-comoviajaarte-no-antiquarium-no-residenz-em-munique-palacio-na-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaComo fã desse salão, recomendo uma visita atenta às peças, aos detalhes. Apaixonado por arte, o duque Albrecht V ordenou a construção desse luxuoso espaço para abrigar sua extensa coleção de esculturas antigas. Entre 1568 e 1571, o Antiquarium foi erguido em uma área já fora do Neuveste, que havia ficado pequeno demais para o desejo de expansão do líder máximo dos Wittelsbach. Seus sucessores, o duque Wilhelm V e Maximilian I, transformaram o hall de 66 metros de comprimento em um salão paras bailes e festas.

Como qualquer criança faria, Joaquim se divertiu percorrendo sozinho aquela imensidão de lugar, ora olhando para o teto onde estão 16 pinturas de Peter Candid, ora mirando com curiosidade os bustos da coleção.


4 >> GROTTENHOF, O PÁTIO DA GRUTA

munique-palacio-residenz-decoracao-da-gruta-alemanha-grottenhof-foto-nathalia-molina-comoviajamunique-palacio-residenz-grottenhof-decoracao-da-gruta-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaUm dos 10 pátios do Residenz, o Grottenhof leva esse nome por ficar colado à gruta próxima ao Antiquarium. Encomendada pelo Duque Wilheml V em 1583, ela é cravejada por conchas e cristais coloridos. Vale uma passada para ver os deuses do Olimpo retratados nas paredes, assim como passagens da obra Metamorfose, do poeta romano Ovídio.


5 >> AHNENGALERIE, COM QUADROS DOS GOVERNANTES DA BAVIERA

ahnengalerie-no-residenz-em-munique-wittelsbach-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaUma das primeiras salas da visita ao palácio ajuda a entender quem era quem na família Wittelsbach — dinastia responsável pela construção das principais atrações históricas de Munique. Em 1726, quando se tornou eleitor — título que lhe dava direito de escolher o imperador do Sacro Império Romano-Germânico, do qual a Baviera fazia parte –, Karl Albrecht encomendou a criação de uma sala onde até hoje repousam nas paredes cerca de 100 quadros com retratos dos membros da dinastia bávara e suas ramificações. A área se chama Ahnengalerie (numa tradução do alemão, galeria dos ancestrais). A sala anexa (Porzellankabinet) guarda peças em porcelana.


6 >> PORZELLANKABINET, A SALA DAS PORCELANAS

munique-residenz-porcelanas-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaNos anos em que esteve no poder (1579 a 1598), o duque Wilhelm V fo quem começou a coleção de peças em porcelana vindas do Japão e da China, nações que detinham a técnica para manusear esse tipo de material — na Europa, a porcelana só passou a ser fabricada apenas no século 17. As peças da coleção não eram levadas à mesa durante as refeições. Tinham apenas função decorativa durante as solenidades realizadas no Residenz.


7 >> ALLERHEILIGEN-HOFKIRCHE: DE IGREJA A SALA DE CONCERTO

munique-palacio-residenz-capela-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajamunique-palacio-residenz-sala-de-concerto-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaTrata-se da primeira capela construída na Baviera depois de 1803, quando a Igreja deixou de exercer sua influência política no território alemão. Embora não faça parte do museu, é possível visitar sua galeria e admirar do alto esta obra inspirada na Capela Palatina, de Palermo, no sul da Itália. Encomendada pelo rei Ludwig I, a Igreja de Todos os Santos levou 9 anos para ficar pronta (de 1826 a 1837), sob a supervisão de Leo von Klenze, arquiteto preferido da corte bávara.

A edificação apresentava paredes em gesso e mármore, com pinturas em ouro coloridas e piso de mármore de vários tons. Transformada em ruínas pelas bombas durante a Segunda Guerra, ficou esquecida durante muitos anos até ter partes originais restauradas e combinadas com elementos arquitetônicos mais modernos. Desde 2003 funciona como sala de concertos.


8 >> GRÜNE GALERIE E SEUS GRANDES ESPELHOS

grune-galerie-no-residenz-em-munique-palacio-na-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviaja Do conjunto de salas suntuosas que compõem o segundo andar do Residenz, destaca-se a Grüne Galerie (em português, Galeria Verde). Espaço de festa originalmente concebido por François Cuvilliés a pedido do duque Karl Albrecht, possui grandes espelhos que se alternam na parede com quadros do acervo dos Wittelsbach — parte deles foi posteriormente transferida para espaços como a Alte Pinakothek. Como mais um dos ambientes destruídos por causa da Segunda Guerra, a Galeria Verde passou por um meticuloso trabalho de reconstrução baseado em pinturas de época.


9 >> KÖNIGSBAU, ONDE FICA O TRONO

A visita ao Residenz é extensa, mas vale ir ao setor dos apartamentos do rei e da rainha, nem que seja para ver a sala do trono. Ele é o único móvel no espaço, ricamente decorado, em branco e dourado. Königsbau faz parte da expansão do palácio ordenada por Ludwig I quando ele assumiu o reino da Baviera, em 1825.


10 >> CUVILLIÉS-THEATER, O TEATRO DOURADO

teatro-cuvillies-em-munique-palacio-residenz-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaO teatro que hoje carrega o nome do arquiteto que o projetou, François Cuvilliés, foi construído entre 1751 e 1755 para ser a casa de ópera do príncipe eleitor Maximilian Joseph III. Em seu palco foram encenadas obras como La Finta Giardiniera, escrita por Mozart a pedido de Max Joseph, e Idomeneo, encomendada em 1780 pelo eleitor Karl Theodor ao compositor austríaco, cuja a estreia no palco do velho teatro do Residenz se deu no verão do ano seguinte.

Principal representante do estilo rococó alemão, o espaço que se visita no Residenz parece bordado a ouro. Ainda que não seja o teatro original (ele foi destruído por bombardeios da Segunda Guerra, em 1944, e um novo foi construído em seu lugar um ano depois), o Cuvilliés mantém o entalhamento dourado e a ornamentação floral originais, salvos em 1943. Hoje, o Teatro Cuvilliés abre suas portas para eventos, cerimônias, apresentações de balé e, claro, óperas.

 

VALE SABER

munique-entrada-do-hofgarten-na-odeonplatz-palacio-residenz-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaEndereço: Residenzstrasse, 1, Munique — a porta de entrada para a visitação está em frente à Max-Joseph-Platz, praça do Nationaltheater (teatro da ópera da cidade)

Transporte: É bem fácil chegar ao Residenz. De transporte público, as paradas mais próximas são: Marienplatz, de S-Bahn ou de U-Bahn; Odeonplatz de U-Bahn ou de ônibus; e Nationaltheater de bonde. A praça Marienplatz fica a menos de 500 metros.

Funcionamento: Abre diariamente, e a entrada nos espaços pode ser feita sempre até 1 horas antes do encerramento. Para o palácio e a área do tesouro: de abril a 15 de outubro, das 9 às 18 horas — no restante do ano, das 10 às 17 horas.

munique-cuvillies-theater-palacio-residenz-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaPara o teatro Cuvilliés, há vários horários de visitação ao longo do ano. De 29 de julho a 10 de setembro, funciona das 9 às 18 horas — horário também de domingos e feriados nos períodos de abril a 28 de julho e de 11 de setembro a 15 de outubro (entre 16 de outubro e março, encerra 1 horas antes). Entre 11 de setembro e 28 de julho, abre apenas a partir das 14 horas e fecha nos mesmos horários do restante do ano.

ingresso-do-residenz-em-munique-palacio-na-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaPreço: O ingresso pode ser para cada parte da visita ou combinado, que inclui o palácio, a área do tesouro e o teatro Cuvilliés — em todas as situações, a visita é grátis para quem tem até 18 anos. Para todas as áreas, paga-se 13 euros. Somente para o palácio ou para o tesouro, 7 euros — os dois juntos saem a 11 euros a entrada. O Hofgarten tem livre acesso.

hofgarten-em-munique-entrada-do-jardim-e-cafe-palacio-residenz-na-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaAlimentação: À esquerda da entrada do Hofgarten, há várias opções de cafés e restaurantes, como o Tambosi, que espalha mesinhas no jardim durante o tempo quente. Nas ruas em torno do palácio, existem restaurantes — entre eles, o tradicional Pfälzer Residenz Weinstube na Residenzstrasse.

souvenir-de-munique-forma-de-biscoito-com-palacio-residenz-e-castelo-neuwanschstein-alemanha-foto-nathalia-molina-comoviajaCompras: A lojinha do Residenz é uma boa fonte de souvenir diferente. Para crianças, há de bonés e camisetas com desenhos de reis e rainhas a cadernos de colorir. Nós trouxemos dois com desenhos lindos de palácios da Alemanha. Divertido para pintar em família e lembrar da viagem. Também há forminhas de biscoitos com o formato de ícones da Baviera, como as torres da Frauenkirche, a catedral de Munique, e o Neuschwanstein, o castelo que teria inspirado o da Cinderela.

Site: www.residenz-muenchen.de

DEIXE SEU COMENTÁRIO