O que fazer em Jericoacoara: passeios no litoral e na vila no Ceará

Confira o que fazer em Jericoacoara, no Ceará. Em 3 dias, 5 dias e à noite, passeios no leste, no oeste e na vila no litoral do Nordeste
Alchymist Beach Club, na Lagoa do Paraíso, um dos cartões postais de Jeri - Fotos: Fernando Victorino @ComoViaja

Jeri virou o que virou no imaginário do viajante devido à sua beleza natural. O que fazer em Jericoacoara, aliás, passa por se jogar nessa paisagem cearense. Seja numa curta viagem de 3 dias ou numa temporada mais longa, o roteiro inclui aproveitar a vida de maneira descompromissada: de dia, em passeios pelo leste e pelo oeste do litoral; à noite, nas ruas de areia da vila no Nordeste. O destino atrai muita gente atrás de aventura, baladas e da boa estrutura turística – confira onde ficar em Jericoacoara.

O povoado de pescadores de 20, 25 anos atrás ainda resiste em 2 criações da natureza, as brutas e belas Pedra Furada e Duna do Pôr do Sol. Os dois pontos turísticos de Jeri se localizam pertinho da vila e são acessíveis a pé. No entanto, o vaivém de jardineiras (picapes com assentos na caçamba) e buggys dá a dimensão de Jeri atualmente.

O que fazer em Jeri à noite: baladas
À noite Jeri tem baladas, a partir do pôr do sol

Passeios no litoral do Ceará

Os passeios são um sucesso entre os turistas. Contratar tours é a maneira indicada para fazer isso, já que esses veículos trafegam com facilidade pelos caminhos de areia que dão acesso a praias e às lagoas de água doce formadas em meio às dunas.

O objetivo da lista abaixo é fornecer uma ideia geral das atrações. Para te ajudar a decidir o que fazer em 3 dias, priorizamos os lugares essenciais: o básico do destino. Já para uma viagem de 5 dias, acrescentamos outras opções; também pode ser útil caso você queira trocar alguma sugestão no roteiro mais curto. No fim, o que importa é você visitar o que quiser, conforme seu perfil de viajante.

O que fazer em Jericoacoara em 3 dias

Em geral, o indicado em uma viagem a Jeri em 3 dias é dedicar 2 deles inteiros aos passeios, um chamado de Oeste (com as praias e o Parque Nacional de Jericoacoara), outro de Leste (com as lagoas de Jijoca de Jericoacoara e a Praia do Preá). Por isso, a agência online Civitatis, nossa parceira no Como Viaja, faz o tour pelo leste de Jericoacoara (7h, R$ 65 por pessoa) e o tour pelo oeste de Jericoacoara (6h30, R$ 75 por passageiro), ambos com grupos em jardineiras.

O que fazer em Jeri em 3 dias: kitesurfe:
Litoral cearense, indicado para kitesurfe em praias como a do Preá

Mas, se prefere um veículo só para quem viaja com você, para qualquer direção, o passeio de buggy em Jericoacoara custa R$ 550 para até 4 passageiros ou R$ 500 para 2 no máximo. Viajantes em busca de um pouco mais de conforto podem reservar o tour privado num carro 4×4, por R$ 600 para até 4 pessoas. Para aventureiros, há o tour de quadriciclo (R$ 500 para 2).

A jardineira é mais barata e serve para quem gosta de visitar o maior número possível de cartões postais, porém sacode mais e tem roteiro fechado, sem margem de mudança. Nos passeios privados em buggy ou 4×4, você pode ficar por mais tempo numa atração, pois o motorista à sua disposição por um período do dia. Além disso, não existe a obrigatoriedade de ir a todos os pontos sugeridos no tour e você pode parar para almoçar onde quiser.

Vila de Jericoacoara: os clássicos que resistem

Você pode passar um dos dias de viagem pela vila, curtindo as ruas de areia, a praia em frente e a vizinha Praia da Malhada. Também pode visitar a Pedra Furada e a Duna do Pôr do Sol, espetáculos de contemplação, ainda livres da intervenção humana. Mesmo assim, você pode não escapar de um acúmulo de pessoas; algumas tentando fazer a foto perfeita para o Insta.

Duna do Pôr do Sol

À esquerda da Vila de Jeri, turistas e locais repetem diariamente o ritual de caminhar rumo à Duna do Pôr do Sol, quase sempre a partir das 16h30. Alguns hotéis costumam avisar aos hóspedes a que horas exatamente o sol cairá no mar. Vá de óculos escuros, menos por conta dos raios solares e mais por causa do vento, que promove esfoliação de pele gratuita com o tanto de areia jogada contra o corpo. As rodas de capoeira aos pés da duna são o bônus depois do entardecer.

Praia de Jeri

Bares e restaurantes de frente para o mar oferecem espreguiçadeiras e guarda-sóis. A praia da vila é bem rasa, especialmente na maré baixa. Isso rende aquelas fotos lindas com o brilho na água mansa, os barcos e a duna à esquerda. O banho de mar é mais fácil na praia vizinha, apesar de também ter sargaço, como a principal. Em alguns momentos do dia, o cheiro forte dessa alga pode incomodar.

O que fazer em Jeri em 3 dias: curtir a vila
Espreguiçadeiras e guarda sóis na Praia de Jericoacoara

Praia da Malhada

Fica à direita da principal praia de Jeri, no caminho de quem quer chegar à Pedra Furada aproveitando a maré baixa. Nessa ocasião, algumas piscinas naturais se formam na região da Praia da Malhada, que tem muita pedra (cuidado pra não dar uma topada enquanto estiver tomando banho). A praia é deserta, sem nenhuma estrutura (leve água e algum lanchinho, se for querer esticar a permanência). O mar ali é imã de surfistas em Jericoacoara.

Pedra Furada

Arrume companhia para tornar menos solitária a caminhada que exige disposição e algum preparo físico. Há quem opte por ir ou voltar pela praia, sempre na maré baixa. Se a escolha for ir pelo alto do morro, charretes puxadas por simpáticos jumentos (o juber, assim chamado carinhosamente pelos locais) agilizam parte do deslocamento, mas não excluem andar a pé um tantinho que seja. Vá cedo, tipo 7 da manhã, se quiser evitar o sol forte porque não tem sombra.

Farol do Serrote

A trilha feita pelo alto do morro rumo à Pedra Furada passa perto desse farol, a quase 100 metros do nível do mar. Quem encarou a subida que leva até o topo do terreno garante que a vista é deslumbrante. Os relatos são de que a ausência de turistas ajuda a escutar melhor os sons das ondas e do vento.

Passeio no leste: parque nacional e beach club nas lagoas

Nesse roteiro estão pontos turísticos como Lagoa do Paraíso, Lagoa Azul, Praia do Preá e Árvore da Preguiça. Para chegar às principais atrações é preciso rodar por trechos de areia e de asfalto. Aliás, a criação de uma estrada fez surgir até um ponto turístico meio sem querer.

Outra novidade recente são os beach clubs à beira das lagoas. Ainda que longe do mar, os clubes de praia foram criados para oferecer mordomias e serviços, com entrada cobrada. As tradicionais barracas, onde só se paga pelo que se consome, seguem como focos de resistência à modernidade, porém sem tanto conforto. 

Lagoa do Paraíso

Programa essencial de quem visita a região, a Lagoa do Paraíso fica a 30 minutos da Vila de Jeri, no município de Jijoca. As redes dentro da água são um convite ao descanso. Barracas como as do Bar e Restaurante Nova Esperança têm salão coberto, quiosques e mesas fincadas na lagoa. Nesses bares e restaurantes paga-se apenas pelo consumo. Pergunte ao motorista do buggy quais cobram pelo acesso.

The Alchymist Beach Club

Com entrada a R$ 35 por pessoa (crianças até 7 anos, grátis), o clube de praia oferece serviços com acréscimo de preço progressivo. Pelo menor valor, é possível tomar banho na Lagoa do Paraíso, acessar os brinquedos infláveis na água, as redes e as mesas e cadeiras cobertas por ombrelones na areia.

Há cobrança à parte para desfrutar de outros ambientes, como as espreguiçadeiras estofadas e com guarda-sóis (R$ 150, por pessoa), os bangalôs na areia ou sobre jangadas (R$ 200, por pessoa) e a área VIP (R$ 200, por pessoa, com direito a guarda-volumes e atendimento personalizado).

O deck flutuante em formato de coração (R$ 200, por pessoa) reúne espreguiçadeiras ao redor de uma piscina de água doce e um DJ. A casinha (R$ 250, por pessoa) é o espaço mais privativo, com cama, mesa para refeições e acesso direto à lagoa por uma escadinha. Porém, nenhum desses valores dá direito à consumação. Água sem gás (R$ 10,90), batata frita (R$ 35) e peixe ao molho de camarão (R$ 74,90) são opções do cardápio.

Lagoa Azul

A Lagoa de Jijoca se divide em duas: a badalada Lagoa do Paraíso e a Azul, acessível por jangada. A Pousada e Restaurante Lagoa Azul, por exemplo, oferece day use por R$ 30 por pessoa, valor que inclui banho na água clara e morna da lagoa e no conjunto de piscinas do pequeno parque aquático da hospedagem – reserve a Pousada e Restaurante Lagoa Azul na Booking. A barraca fecha às 17 horas, quando a última embarcação faz a travessia de volta.

Buraco Azul Caiçara

O buraco em Caiçara (distrito de Cruz) de onde se retirou areia e barro para a construção de uma estrada virou atração turística depois de uma forte chuva no Ceará, em 2019. Desde então, o Buraco Azul fez sucesso no Instagram e atraiu muita gente para lá (entrada a R$ 20, por pessoa – crianças até 10 anos e idosos acima de 60 anos, grátis).

O tom da água é resultado da concentração de calcário no fundo da enorme cratera, que muda de cor com a incidência do sol. As placas com alertas para o risco de afogamento são grandes e chamativas o bastante. O mergulho só é permitido em alguns pontos, já que o buraco pode chegar a 7 metros de profundidade. Há piscina infantil, redes, espreguiçadeiras e bangalôs (R$ 100 para 2 pessoas, valor revertido em consumação) . O restaurante serve pescados, carnes e petiscos.

Passeio no leste de Jericoacoara
Cor azul e cautela no Buraco, em Caiçara

Lagun Beach Club

Se a ideia for impressionar amigos nas redes sociais, vá em frente. Também em Caiçara, há uma lagoa artificial central, em tom turquesa. E ainda cascata, balanços e outros cenários para emoldurar suas fotos. Tem prainha, piscina infantil, tirolesa (R$ 15) e também é pet friendly. O ingresso por pessoa no Lagun Beach Club custa R$ 20, com direito aos espaços com mesas e cadeiras protegidas do sol.

Lagoa do Amâncio

Formada pelas águas das chuvas, a Lagoa do Amâncio é cercada pelas dunas do Parque Nacional de Jericoacoara. Por ser uma atração sazonal, não há estrutura de apoio, como barracas para venda de alimentos e bebidas. Ainda assim muita gente desce para tirar fotos e tomar banho na parte rasa, trecho ideal para crianças pequenas e para os que não sabem nadar.

Árvore da Preguiça

A força do vento no litoral do Ceará está materializada nesta espécie tombada por ele. Suas raízes formaram um pitoresco enquadramento aproveitado nas fotos dos turistas. Se estiver com sorte, dá para registrar o nascer da lua no mar, como ocorreu comigo em um fim de tarde de novembro. Pena que a câmera do smartphone não capte a essência desse momento. Mas, acredite, a lembrança é sempre a melhor parte de uma viagem. 

Passeio no oeste: Tatajuba, off-road, tirolesa e esquibunda

Nesse roteiro estão Lagoa de Tatajuba, Lagoa Grande e Mangue Seco, além de atividades radicais, entre elas, esquibunda e tirolesa sobre a água, pagas separadamente. O ritmo calmo da travessia de balsa sobre o Rio Guriú é o momento mais tranquilinho de quem sai em direção ao litoral oeste de Jericoacoara.

O caminho rumo à vizinha Camocim é um exercício off-road. Há quem goste de encarar o sobe e desce sobre as dunas (o papo do ‘com emoção’). Mas dá para chegar aos mesmos lugares sem botar suas preces em dia. Do lado oeste ficam atrações mais rústicas, livres por enquanto do raio ibizador.

Mangue Seco

As raízes altas e retorcidas que emanam do terreno lamacento ganharam a companhia de balanços de madeira e molduras em formato de coração feitas com galhos trançados. É nesse cenário que mulheres, principalmente, posam para fotos. Tímidas bancas vendem bebidas ou artesanato feito com materiais naturais.

Passeio do cavalo-marinho

Na mesma região de manguezal, são realizados os controversos passeios do cavalo-marinho, pagos à parte. Espécie ameaçada de extinção, o animal é capturado em um pote e trazido para os turistas só observarem ou tirarem fotos dentro do pequeno barco em que é feita a atividade.

Lagoa Grande

Não faltam as redes nem as mesas na água. Os cardápios das barracas ao redor da Lagoa Grande focam em peixes e crustáceos – a prática de exibir os pecados numa bandeja em vez de oferecer cardápio físico é motivo de reclamação de muitos frequentadores na linha expectativa/realidade. Já o menu da diversão gira em torno de rolês de stand up paddle e de caiaque, ambos com pagamento à parte.

Passeio no oeste de Jericoacoara
Barracas de Lagoa Grande

Lagoa de Tatajuba

O cenário se repete nesta que é a lagoa mais famosa do passeio pelo lado oeste. Há barracas com o pescado do dia, mesas e redes para se largar na água morna. É lá também que fica a tirolesa (R$ 25, duas descidas). No caminho pelas Dunas de Tatajuba, você vai encontrar atividades semelhantes, como o tobogã em que se escorrega de barriga. Custa R$ 25 e dá direito a três tentativas – se o participante alcançar uma certa marca, tem direito a mais uma descida.

Duna do Funil

O esquibunda é o esporte número 1 praticado nessa duna alta, que termina na lagoa formada pela água das chuvas. Ou seja, no meio do ano o nível sobe mais. Como exige toda modalidade, ter preparo físico é fundamental, principalmente para encarar a subida de volta.

O que fazer em Jericoacoara em 5 dias

Você pode aproveitar para tirar um dia inteiro para curtir um day use num hotel bacana, por exemplo. Ou ir dedicar mais tempo à Praia do Preá e fazer aula de kitesurfe por lá.

Praia do Preá

Fica no município de Cruz e se mantém mais rústica em relação à vizinha Vila de Jericoacoara. Casa dos praticantes de kitesurfe, tem mar agitado e pouco convidativo ao banho. Porém, caso queira apenas parar para fotos, o Preá está presente em quase todos os passeios de buggy para o litoral leste de Jeri. 

Casa Uca

Neste hotel, localizado no município de Camocim, o day use custa entre R$ 200 e R$ 400 (para acomodar de 4 a 12 pessoas). Os valores incluem o uso da piscina. Além disso, podem ser usados no consumo durante o período de permanência. Se preferir, você também pode se hospedar lá – reserve no Casa Uca na Booking.

Club Ventos

Diante da Praia da Malhada, playground dos praticantes de esportes aquáticos, o Club Ventos tem infraestrutura para os que querem se exercitar e também para os que gostam de sombra e água fresca. Quem escolhe ficar no lounge paga entre R$ 130 e R$ 700, mas grande parte desses valores é convertida em crédito para consumação. O pôr do sol é animado por DJs, que comandam a animação até as 19 horas, diariamente. 

O que fazer em Jericoacoara à noite

Se você já definiu onde comer em Jericoacoara, resta saber o que fazer em Jeri à noite. Caminhar de modo descompromissado pelas ruas de areia da vila é motivo suficiente para curtir a brisa leve que sopra. O comércio fica aberto até perto das 22 horas, então dá para comprar aquela lembrancinha que faltou, tomar um sorvete ou dançar ao som de música eletrônica ou de forró – na beira da praia ou no beco batizado com o nome do autêntico ritmo nordestino.

O que fazer em Jeri à noite inclui um forró
Trio de forró na Praia de Jeri

Café Jeri

Um dos hotéis da nossa lista de lugares para se hospedar, o Café Jeri tem terraço com vista para o mar. De quarta a domingo, ali rola balada a partir das 16 horas (a entrada é gratuita até as 18 horas; depois, custa R$ 50). Sob o comando de DJs, hits de música eletrônica embalam o pôr do sol e a festa que segue até as 22 horas. Hóspedes não pagam para entrar e têm acesso privativo.

Forró da Dona Amélia

A fama da comida se estende às noites de música neste restaurante. Afinal, o que fazer em Jericoacoara à noite inclui um bom pé de serra, que come solto às quartas e aos sábados na Rua do Forró.

Padaria Santo Antônio

É um clássico das madrugadas em Jeri porque, historicamente, a Padaria Santo Antônio acolhe os que se acabaram de tanto dançar nos forrós e em outras baladas pela vila.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *