Mercados de Natal na Europa: Budapeste

 

O Natal na Terra de Reis e Rainhas
Fotos e texto de Nathalia Molina

(para entender a série, leia Natal na Europa: uma viagem encantada)

 

2º capítulo
O maravilhoso mundo do Natal
A primeira cidade que a mamãe do Joaquim visitou tem um nome engraçado, meio tranquilo, meio danado. É que lá tem um rio, o Danúbio, que divide a cidade em dois pedacinhos, o Buda e a Peste. Aí alguém resolveu juntar tudo e chamar a cidade de Budapeste.
Foi lá que ela viu pela primeira vez um mercado de Natal. Numa rua que não passava carro, havia um monte de barraquinhas de madeira. A mamãe do Joaquim ficou impressionada com os enfeites. Muitos tinham sido feitos à mão pelos artistas da Hungria, o país onde fica aquela cidade bonita, a tal da Budapeste.
Uma barraquinha atrás da outra
E os presentinhos? A mamãe tinha vontade de levar cada coisa para o Joaquim. Não que ele fosse ganhar tudo aquilo, nem cabia dentro da casa dele. O que a mamãe queria mesmo era poder transportar o Joaquim para aquele maravilhoso mundo do Natal.
O J do Joaquim
Foi quando ela viu uma barraquinha de brinquedos de madeira, cada um mais divertido que o outro. Leõezinhos, árvores e letrinhas eram como quebra-cabeças. O moço que fabricava os brinquedos queria que as crianças pudessem montar e desmontar as formas. Ele era muito criativo! Inventava letrinhas com desenhos dentro. A mamãe não resistiu e comprou o J com o palhacinho para o Joaquim.
Que fofura…
Numa outra barraquinha, tinha um doce grandão. A moça fazia uma minhoca de massinha e enroscava grudadinha num tubo. Depois, ela cobria de açúcar e botava para assar numa churrasqueira. O nome desse doce é kürtőskalács. Uma palavra esquisita. Mas isso era só o começo. Os nomes na Terra de Reis e Rainhas enrolaram a língua da mamãe do Joaquim muitas vezes.
Primeiro, se enrosca a minhoca
Depois, se põe para assar
O mercado de Natal terminava (ou será que começava?) numa praça. Uma árvore de Natal gorducha, com fios e mais fios de luzinhas azuis, deixava ainda mais bonito o karácsonyi vásár. Era assim que as pessoas de lá chamavam o mercado de Natal. Eu não disse que as palavras ali enrolavam a língua?
A árvore azul
Lanchinho da tarde
Nas mesinhas da praça, as pessoas provavam as delícias de Natal, aquecidas por gorros e casacos, alguns pareciam espaciais, como roupas de astronauta. Enquanto isso, do outro lado da praça, os músicos tocavam músicas natalinas e todos aproveitavam felizes aquela encantada tarde de domingo em Budapeste.
Biscoitinhos: doces e lindos
§§§
  • Onde: Váci Utca (rua de pedestres) e Vörösmarty Tér (praça no Centro de Budapeste)
  • Site: budapestinfo.hu

Leia o restante da série Natal na Europa em: Apresentação da série sobre Natal na Europa, Tradições natalinas (mercados, candelabro e calendário), Mercado de VienaMercado de Regensburg (Alemanha), Mercado de Nuremberg (Alemanha)Mercado de Frankfurt (Alemanha)Mercado de Rüdesheim (Alemanha)

 

6 Comments

  1. maria imaculada ferreira molina

    vou aguardar anciosa os proximos capitulos.

  2. maria imaculada ferreira molina

    estou viajando nas terras de reis e rainhas é tudo tão lindo vc esta me proporcionando um natal diferente. bjs

    • Fico tão feliz em saber disso, Imaculada. Que seu Natal seja cheio de afeto, beijo!

  3. Anônimo

    Eu tb enrolei a minha lingua nessa terra. Tb gostei das pessoas, dos doces e da páprica,do mercado, do Danúbio e dos passeios com a vovó do Joaquim!

    • É uma delícia de lugar, né, Nicinha? Obrigada pelo comentário e por me acompanhar sempre aqui no blog, beijo grande!

DEIXE SEU COMENTÁRIO